Um pouco do histórico de um Instituto que tem como responsabilidade capacitar e nasceu do sonho de um desbravador brasileiro. 

     Primeiro presidente da Confederação Nacional da Indústria, Euvaldo Lodi, filho de imigrantes italianos, nasceu em 9 de março de 1896, em Ouro Preto, MG, onde se formou como Engenheiro Civil e de Minas, na Escola de Minas e Metalurgia. Também presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro - FIRJAN por muitos anos, ficou na CNI até 1956, ano em que morreu. Trabalhou na construção de estradas, na exploração de minas de ferro e de carvão. Instalou altos fornos em Minas Gerais, fundou a Usina Gortix e a Companhia de Ferro Brasileira, da qual foi presidente por longo período. Dirigiu, também a Companhia Industrial de Ferro, de Belo Horizonte.
 

      Em 1933 foi eleito representante da Assembléia Constituinte e deputado classista pela indústria, na Câmara Federal, em 1935. Proclamado o Estado Novo e dissolvido o Congresso, Lodi perde seu mandato parlamentar e assume a segunda vice-presidência da Confederação Industrial do Brasil, durante a gestão de Roberto Simonsen. Assim, em agosto de1938, Euvaldo Lodi e Roberto Simonsen transformam a Confederação Industrial do Brasil em Confederação Nacional da Indústria.

     Em 1941, Getúlio Vargas, através do Ministro da Educação e Saúde, Gustavo Capanema, convocou Euvaldo Lodi - Presidente da Confederação da Indústria e Roberto Simonsen - Presidente da Federação das Indústrias de São Paulo para estudarem junto com Valentim Bouças, a estruturação de um novo sistema nacional de ensino profissional capaz de solucionar as deficiências de mão-de-obra qualificada no Brasil. O documento final apresentado incluía a criação do SENAI, mostrando o que poderia vir a ser a cooperação das indústrias com o governo na formação de aprendizes e no aperfeiçoamento do operariado fabril.

      Em 1944 Euvaldo Lodi e João Daudt de Oliveira chefiaram a delegação brasileira à Conferência de Bretton Woods, nos Estados Unidos, objetivando a organização econômica e financeira mundial, depois de efetivada a vitória sobre os países do Eixo. Esta conferência daria impulso à formação do Fundo Monetário Internacional - FMI, e do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento Econômico - BIRD.

     Em 1946 participou da delegação brasileira à Conferência de Paz de Paris, que acertou os termos do fim da Segunda Guerra Mundial. Foi presidente da Comissão Econômica para a América Latina - CEPAL e membro do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas. Como político, Euvaldo Lodi foi membro da Assembléia Nacional Constituinte, em 1933 e deputado até 37, quando o presidente Getúlio Vargas decretou o Estado Novo e fechou o Parlamento. Com a redemocratização, em 45, tornou-se novamente deputado federal, cargo que exerceu até 1954.

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Wix Facebook page
Acompanhe-nos nas redes sociais!

© 2012 Sistema Indústria Roraima - IEL